sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

COMO FOI CRIADA A OBRA DE DON QUIXOTE DE LA MANCHA


Um ateu muito “sabichão” afirmava na presença de um sacerdote, que o mundo era obra do acaso.


O bom sacerdote perguntou-lhe: - “Você sabe como se compôs o Don Quixote de La Mancha? Vou contar-lhe... Um dia, Cervantes deixou sobre a sua mesa de trabalho uns papeis em branco. Sobre as folhas de papel passearam um grande rato e umas moscas, deixando-as salpicadas de uns pontinhos negros que você conhece de facto.


Quiz o acaso que os ditos pontinhos negros ficaram dispostos de tal forma que compuseram o primeiro capítulo da grande novela. Repetindo-se a operação das moscas, deu por resultado o segundo e terceiro capítulos do incomparável livro, e depois de algum tempo o tomo completo da célebre obra de Cervantes.


O ateu contestou: “Padre, não diga coisas tão absurdas!”


O sacerdote respondeu-lhe: “Se a sua inteligência admite que o mundo é obra do acaso, por que não há-de admitir que a história de Don Quixote também o é, e é bastante menos complexa que a criação inteira?”.


Retirado do blog: http://catolicidad-catolicidad.blogspot.com/2009/11/como-se-creo-la-obra-de-don-quijote-de.html

Tradução livre: Manuel Figueiredo

sábado, 14 de novembro de 2009

DEMÓSTENES E A SOMBRA DO BURRO


Defendia Demóstenes no Areópago de Atenas a causa de um pobre homem condenado á morte, e, vendo que os juizes não o atendiam, interrompeu o seu discurso com estas palavras: “Senhores, agora vou-vos contar a Vós. Um feito muito interessante”.

E começou a narrar como um homem alugou um burro para ir a Atenas. Puseram-se os dois a caminho de madrugada, mas pouco depois começou o sol a aquecer, de modo a que se queimavam. O bom homem apeou-se, e quiz-se pôr ao lado do burro para aproveitar a sua sombra. Mas o amo do burro, que se tinha adiantado, se opôs dizendo: “A sombra do burro pertence-me a mim; eu só te aluguei o burro, não a sua sombra”.

Cada um defendia que lhe pertencia a sombra com tal afinco, que das palavras passaram aos actos, pegando-se e ferindo-se. O assunto foi levado aos tribunais.

Quando Demóstenes chegou a este ponto, pegou no chapéu e fez o gesto de se ir embora, mas os Juizes que o estavam a olhar atentamente, lhe pediram que termina-se e disse-se a resolução dos tribunais.

Demóstenes, com tom de indignação, exclamou: “Ah, Senhores Juizes, não vos dá vergonha? Há pouco tempo tratava sobre a vida ou a morte de um homem, e dormitáveis; agora falo-vos sobre a sombra de um burro, e me escutais com a boca aberta”.

A quantos homens falais de temas importantes para a sua vida, a sua salvação eterna, a religião, o seu temperamento, e não fazem caso algum! Mas uma noticia de futebol, uma diversao oculta... lhes cativa enormemente a sua atenção.

Retirado de: http://catolicidad-catolicidad.blogspot.com/
Tradução livre: Manuel Figueiredo

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

DUAS IRMÃS LÚCIAS DE FÁTIMA?

Recentemente vi algumas imagens raras da visita da Irmã Lúcia de Fátima, que nasceu em 1907. Na primeira foto abaixo, à esquerda, quando ela visitava a Capelinha das Aparições em Fátima. Ela parece uma freira nos seus trintas e poucos anos, mas os arquivos de Fátima relatam a data da visita em 1946, assim sendo ela teria 39 anos de idade. Na segunda foto, ela está ao lado de uma estátua do Imaculado Coração de Maria, esculpida para a Capelinha das Aparições. Ela aparece nestas fotos usando ainda o hábito das Irmãs de Santa Doroteia, no máximo ela poderia ter 41 anos de idade. Ela deixou a Ordem em 1948 para tornar-se Carmelita no Convento de Coimbra, Portugal.

Nas proximas fotos, podemos ver a Irmã Lúcia nalguns traços de criança a Lúcia que foi favorecida com a visita da Mãe de Deus aos 10 anos em 1917.

A mesma face plana, o mesmo queixo, os mesmos lábios grossos, o mesmo nariz largo e olhos pequenos sob grossas sobrancelhas que formam uma linha recta que separa os olhos da testa. Um não tem dificuldade em acreditar que estas imagens da Irmã Lúcia são de facto, da mesma pessoa que a filha de Lúcia Santos.


Tendo recentemente analisado cuidadosamente estas fotos da Irmã Lúcia, eu fiquei realmente surpreso ao ver uma foto que representa a Irmã Lúcia publicada na edição de Março de 2006 Dentro do Vaticano. A legenda diz: "Aqui, uma foto rara dela como uma jovem freira."


Esta freira está vestida com um hábito carmelita, portanto, ela teria que ter no mínimo 41 anos de idade desde que a Irmã Lúcia no Carmelo só entrou em 1948 na idade de 41. A minhas perguntas para Dentro do Vaticano sobre a idade exata da Irmã Lúcia, nesta foto ainda não obteve uma resposta. Portanto, pode-se supor que ela está nos seus quarentas.


Ao fazer uma inspeção próxima desta fotografia,
no entanto, não encontrei as mesmas características da Irmã Lúcia que indiquei acima.


Eu convido os meus leitores a fazer uma comparação das fotos comigo. Por uma questão de precisão, permitam-me chamar a pessoa no conjunto de fotos antes da Irmã Lúcia I, e a pessoa que aparece à esquerda no interior do Vaticano e da irmã mais fotos de Lucy II.


No primeiro conjunto de imagens para ser comparado a seguir, as caras estão sérias. No conjunto seguinte mais abaixo, elas estão sorrindo.


O primeiro ponto que chama a atenção é a diferença de idade de ambas as pessoas. À esquerda em cima a Irmã Lúcia I que está numa idade que não pode ter mais de 41. À direita em cima é a Irmã Lúcia II, com uma idade que não pode ter menos de 41. No entanto, a pessoa do lado esquerdo parece muito mais velha do que a da direita. É difícil imaginar que, com poucos anos de diferença, face ao sofrimento sombrio da Irmã Doroteia à esquerda poderia ter mudado para o semblante alegre e positivo da jovem carmelita na direita.


Mas a idade não é o único ponto de discordância.


* Analisando as faces, pode-se ver que a Irmã Lúcia I tem um rosto oval, com as maçãs do rosto salientes e queixo côncavo; Irmã Lúcia II tem um rosto e mandíbula mais quadrado.


* Os lábios da Irmã Lúcia I são grossos e generosos; os lábios da Irmã Lúcia II são muito finos e apertados.


* Quando a Irmã Lúcia I sorri, abaixo à esquerda, pode-se ver que a boca tem a forma de um U com as pontas apontando para cima. Quando a Irmã Lúcia II sorri, as pontas dos lábios apontam para baixo na forma de uma cabeça para baixo U.


* O nariz da Irmã Lúcia I é amplo. O nariz da Irmã Lúcia II é mais longo e mais estreito, com uma curva de arredondamento que gira sob a sua ponta formando um lobo, como pode ser visto em cima, à direita.


* Irmã Lúcia I tem olhos pequenos, que normalmente estrabismo.
Muito pouco do branco dos olhos aparece. Irmã Lúcia II foi grande, olhos saltados, com uma boa quantidade de branco aparecendo.


* As sobrancelhas da Irmã Lúcia I são rectas e muito pesadas de um lado para o outro, unindo-se estreitamente no meio da testa. A Irmã Lúcia II tem sobrancelhas levemente arqueadas que taper off de largura nas extremidades. É claro que há um espaço grande sobre o seu nariz sem sobrancelhas.
Esta diferença notória entre as testas das duas pessoas é um pouco disfarçada pelo uso de óculos grandes.


Quando a Irmã Lúcia I sorri sua boca forma um U. Quando a Irmã Lúcia II sorri sua boca forma um U invertido

Estas são as características físicas que tanto quanto posso julgar, são diferentes nas duas pessoas.


O aparecimento de óculos na Irmã Lúcia II também levanta uma questão. Os óculos da Irmã Lúcia II parecem ter lentes grossas, o que fala de miopia. No entanto, a Irmã Lúcia I nunca apareceu com óculos até seus 40 anos. Vale a pena considerar que os casos mais graves de miopia aparecem antes dessa idade. Além disso, observa-se nas fotos do terra-a-terra, família de camponeses da Irmã Lúcia I, não há ninguém usando óculos. Não parece ser um problema que ocorre na família.


Pode-se considerar também as posturas e gestos das duas Lucias. Irmã Lúcia I que está num modo recolhido, com as mãos num gesto discreto. Sua postura e comportamento são bastante compostas, como mulher dignos de uma religiosa.

A pose da Irmã Lúcia II, como uma jovem freira é em muitos sentidos diferente. Ela descansa o rosto na sua mão como se estivesse numa sala de aula ouvindo uma palestra. O seu ar um tanto artificial chama a atenção. Os pulsos são deliberadamente mostrando, assim como um pequeno pedaço de cabelo na parte superior e lateral do hábito, mais de acordo com a forma de uma freira progressista, entrando em confronto com a extrema discrição da Irmã Lúcia I.


Os oculos da Irmã Lúcia II são muito modernos no estilo de uma freira da década de 1950. Pode-se certamente dizer que ela reflecte uma pessoa sensível aos apelos da moda.
Mais uma vez, uma atitude externa à Irmã Lúcia I.


Estas são as comparações que eu gostaria de oferecer aos meus leitores. A minha conclusão é simples: o rosto, os traços, os gestos, e o espírito das duas Irmãs Lucias são diferentes. Parece então, que estamos olhando para duas pessoas diferentes.


Se isso for verdade, teríamos sido enganados por alguma impostora que foi apresentada como uma autêntica testemunha das visões de Nossa Senhora.


Neste caso, surgem algumas questões hipotéticas. O que aconteceu com a verdadeira Irmã Lúcia? Quando foi feita a substituição? E o mais importante, porque foi essa troca necessária?


Talvez a pergunta clássica - Qui bono?
[Quem se beneficia?] - A resposta surge. A retirada da Irmã Lúcia I e a entrada da Irmã Lúcia II antes de 1960, o ano em que o segredo deveria ter sido revelado, evitaria o testemunho verdadeiro de dizer ao mundo o conteúdo completo do Terceiro Segredo. Isso só poderia ter sido a favor da ala progressista que está dominando a Igreja nos nossos dias.


Retirado do site: http://traditioninaction.org/HotTopics/g11htTwoSisterLucys_Horvat.htm

Tradução livre: Manuel Figueiredo


sábado, 10 de outubro de 2009

VISÃO DO INFERNO [4]


De Oliva uma vidente de Jesus da Misericórdia em Garagoa Colômbia


Vi que iam homens e mulheres de todas as idades, até crianças com as mãos cortadas, alguns sem dedos. E lhe perguntei: Quem são e porque vão para inferno? E disse-me: "São todos os aldrabões, os estafadores, os ladrões, os que não pagam as suas dividas, os que só se dedicaram ao trabalho, os avarentos, os que no seu coração só estava o deus dinheiro, os que nunca deram uma esmola ao pobre, nem ajudaram o mais pequeno dos seus irmãos. São todos aqueles que no final lhes terei que dizer, aparta-te de mim maldito, vai para o fogo eterno, preparado para o diabo e os seus anjos. Pois tive fome e não me deram de comer, sede e não me deram de beber. Fui estrangeiro e não me alojaram, nu e não me vestiram, enfermo e na cadeia e não me visitaram. Ore, ore por eles, porque muitos estão vivos e podem ser salvos.
Vi homens e mulheres, que das suas bocas saíam sapos, e víboras. E estes, quem são? Perguntei. "São todos os que puderam ensinar a minha fé e a minha doutrina e não o fizeram. Mas sim, ensinaram coisas baseadas em teorias sem o poder comprovar. São os mestres, escritores, catequistas, sacerdotes e pais de família e todo o que possa ensinar a minha fé. E toda pessoa que destrua a fé crianças mais pequeninas. Eu lhes tenho escrito, ai daquele que ensine outra palavra, ai do que escandalize a um destes pequeninos, mais lhe valia amarrar-se uma pedra de moer ao pescoço e se atirasse-se ao mar. Reza, reza, porque para muitos deles ainda há salvação, porque para eles o castigo será tremendo. Ora, para que não cheguem a este lugar de castigo."

Vi famílias de pais e filhos golpeando-se, e filhos golpeando-se entre si. Das suas bocas saíram chamas de fogo. E eu perguntei: Porque vêem para aqui? E porque os atormenta o demónio? Porque lhes sai fogo? E disse-me: "São os pais que não souberam fazer-se amar e respeitar pelos seus filhos, insultavam-nos. São os filhos altivos e grosseiros com os seus pais." E perguntei: Por que vão eles ali? E disse-me:" No fim quando cada um se apresenta diante do juiz, se não foram bons filhos, vão dizer; maldito eu, que por não ter respeitado e amado os meus pais! E por essa maldição vão ao inferno. Ou dirão, maldito por não obedecer e seguir a fé católica. Ou ao contrário, vão dizer, malditos os meus pais, porque não me ensinaram a respeitá-los e a amá-los. Por essa maldição os pais vão ao inferno.

Ao contrario os pais devem respeitar e dar amor aos seus filhos. Jamais com insultos. "Reza, Reza, porque alguns podem se salvar"

Vi que nessas casas, onde o pai e a mãe, insulta os seus filhos, os demónios saem das suas bocas como larvas, ou serpentes que se arrastam. E pouco a pouco vão e metem-se ao outro filho, ou ao marido que está longe. Vi que a única maneira para acabar esses demónios nessas casas, e rezar e especialmente o Santo Rosário.

Vi gente de todos os tipos e idades que desperdiçavam dinheiro, e à volta deles, muita gente morrendo de fome.

E estes quem são e porque vão para o inferno? E disse-me:" São todos os que desperdiçam o dinheiro em coisas que não serve, são os que compram coisas que não são necessárias, são os que fazem festas para os seus gostos e convidam unicamente e interesseiramente àqueles que lhes podem dar alguma coisa em troca, levam-lhes alguma coisa, ou os convidam para outras festas. São todos os que desperdiçaram, comprando demasiadas coisas e as deixam estragar nos seus refrigeradores, em lugar de oferecê-las. Nunca fazem nada de obras de misericórdia, só pensam neles mesmos, enquanto ao seu redor, e no mundo, muitos morrem de fome. Reze, reze, por eles para que se convertam, e não vão para o lugar de castigo".

Vi jovens que levavam aparelhos nos seus ouvidos, não perguntei que aparelhos, porque não os conheço, ligados a uma radio, caminhavam como sonâmbulos. Por esses aparelhos entravam-lhes escorpiões, sapos e morte. E perguntei Quem são? E disse-me: "São todos aqueles que escutam música satânica, rock, a música metálica e se converteram em adoradores do diabo que os levam à sua própria morte e lhes fazem perder o sentido da vida, são todos os que entram no culto satânico, discotecas ou nas suas casas, se encerram ouvindo a alto volume essa maldita música, para eles a vida não tem sentido, nem estudar nem nada. Tornam-se preguiçosos e rebeldes. Pobre juventude vai para a perdição, já não há inocência nos maiores de 4 anos. A maldita televisão e a música tem-nos pervertido, e o seu coração cego afastado de mim. Reza, reza para, que eu possa resgatá-los, pois viajam como moscas ao morteiro. Reza, reza, reza para que abandonem tudo, e não cheguem ao lugar de castigo eleito por eles".

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

MÃE QUE CURA, MÃE QUE SALVA

Alexis Carrel

FAMOSO MÉDICO, CIRURGIÃO E BIÓLOGO FRANCÊS, LAUREADO COM O PREMIO NOBEL DE MEDICINA EM 1913. QUE SE CONVERTEU AO CATOLICISMO AO PRESENCIAR EM LOURDES O MILAGRE QUE ORA NARRAMOS


Um dos protagonistas do milagre que vamos narrar é o eminente médico-cirurgião francês, e grande pesquisador no campo da biologia, Aléxis Carrel. Ele foi laureado com o premio Nobel de 1913. Ele era um homem sem Fé.

Herdara de sua família a Fé Católica, mas os estudos feitos em ambiente positivista o haviam feito tornar-se um agnóstico. Somente aceitava o experimental como certo.

Mas, apesar disso, Carrel é um homem reto e que não quer trair a Verdade. Ele ouve falar dos milagres de Lourdes e diz: “A cura repentina de uma moléstia orgânica, a reconstituição de uma perna quebrada, a cura instantânea de uma luxação congênita, o desaparecimento de um câncer, se tudo isso fosse constatado… levaria a aceitar a interferência de um Poder Sobrenatural”.

É com esta disposição de reverência à Verdade, que Carrel parte de Lyon – onde visava uma cadeira na Faculdade de Medicina substituindo um médico que, na última hora se vê impedido de acompanhar uma peregrinação lionesa a Lourdes, prestando seus serviços clínicos aos doentes. Vai em lugar do colega, curioso por verificar, nessa oportunidade que se lhe oferece risonha, o que há de sério em tudo o que se propala da famosa cidade das aparições de Nossa Senhora.
Sob sua responsabilidade viajam trezentos enfermos, entre os quais está Maria Bailly, jovem de vinte e dois anos, que precisou, logo na partida do trem, do seu socorro. Seu estado é grave.

Em Lourdes, a padecente é internada no hospital de Nossa Senhora das Dores, sala da Imaculada Conceição, reservada aos enfermos de maior gravidade. Por causa de uma piora, acode-a o Dr. Carrel que, depois de examiná-la demoradamente, diagnostica: “É uma peritonite tuberculosa no seu último período… pode viver alguns dias ainda, mas está perdida”.

Trava-se então ligeiro diálogo entre a enfermeira e Carrel em que transparece o estado crítico da paciente.

A enfermeira pergunta:

“Dr. podemos levá-la às piscinas? Ela disse-me que fazia questão de ser banhada, pois para isso é que tinha vindo”.

Antes de responder Carrel pede a opinião de um colega de Bordéus.

“É a agonia. Ela pode morrer no caminho”.

Insiste a enfermeira:

“Essa jovem não tem mais nada a perder. Seria cruel recusar-lhe a suprema felicidade de ser conduzida à Gruta”.

“Pois bem, afirma Carrel, vou acompanhá-la”.

E voltando-se para os colegas presentes:

“Vamos tentar o impossível prodígio: a ressurreição de uma morta. O dilema é formal: a morte ou o milagre. Se esta se curar, creio no milagre”.

Tamanha é a certeza que tem Carrel da morte iminente de sua cliente e de que por conseguinte, força nenhuma é capaz de salvá-la!

Mas quando a desenganada entra na piscina, a compaixão de Carrel, sentado defronte da piscina das mulheres, é tanta que, sem embargo, arranca do fundo de sua alma esta prece emocionante:

“Ó Virgem Maria, se não és um mito criado pelos nossos cérebros, curai essa jovem que, realmente sofreu demais, e fazei que, reencontrando-a viva na saída da piscina, eu possa crer”.

Imergir a moribunda na água não é possível às enfermeiras que por esta razão contentam-se em aplicar-lhe algumas loções que provocam dores atrozes. Da piscina levam-na para a Gruta. Carrel diz às enfermeiras:

“Se precisarem de mim, estarei lá”.

De fato, mais alguns instantes e Carrel chega à Gruta onde estava seu colega de Bórdeus. Depois de fitar demoradamente aquela que ambos julgavam agonizante, Carrel fala para o colega:

“Veja nossa doente, não lhe parece que está melhorando?”

“Quase nada… se é que não está morta”. “Todavia”, observa Carrel, “as pulsações baixaram e a respiração também”.

“Sem dúvida, é o fim” – observa o médico de Bórdeus.

Carrel, porém, não sai de perto da infeliz.

Fica observando-a sem saber se sairá dali com vida. Mas, poucos momentos depois, surgem transformações físicas surpreendentes: o ventre abaulado baixa, indício de desaparecimento de tumefação, o coração retoma a regularidade de seu ritmo, as orelhas, as mãos e o nariz apresentam sinais de calor. Não é a vida que torna contra todas as desesperanças? Num dado momento, Carrel interroga a cliente:

Como se sente?”

“Muito bem. Não muito forte ainda…” e suspirando de felicidade: “sinto que estou curada”.

Carrel assistira ao milagre. Corre ao Gabinete médico para contar o fato ao Dr. Boissarie, Este ao ouvir sua narrativa lhe diz que, em Lourdes, todos os cânceres, as tuberculoses, os tumores desaparecem. E que a “peritonite tuberculosa” não será a primeira.

Fica combinado que no dia seguinte a moça será examinada. Indo ao hospital, à noitinha do mesmo dia, Carrel submete-a a meticuloso exame e constata que não havia nenhum vestígio do mal que a acometera.

Carrel se emociona. Tem a impressão de ter recebido uma pancada na cabeça. Treme. Passam outros médicos por ali e ele diz que ela parece curada e pede que eles a examinem.

Durante o exame ele reflete: “é certo que o seu estado geral era extremamente grave. Ela está curada. E o milagre… O grande milagre… Se verdadeiramente é um milagre, impossível não admitir o Poder Sobrenatural”.

Acabado o exame de seus colegas, Carrel pergunta-lhes se eles haviam achado alguma coisa. E eles respondem que não haviam achado absolutamente nada. Que ela estava curada.

“É uma cura que não se pode explicar por meios naturais”, pondera um dos médicos.
“É um grande milagre”, reforça um médico italiano aparecido em pleno exame.
Daí em diante, Aléxis Carrel não será mais o mesmo; acredita em Deus. Acredita na Santíssima Virgem, e também acredita no Sobrenatural. Para ele, a Virgem deixou de ser um mito criado pela credulidade popular. Quando perguntam a ele qual a causa do milagre, ele responde sem pestanejar que é a Virgem Maria que age diretamente, por um fenômeno sobrenatural. E ele vê a acção d’Ela também na obra de Lourdes, ele vê que Ela age ao ser invocado o Seu Maternal Auxílio. Quando ele volta para a Faculdade de Lyon, começam a perguntar-lhe acerca da moça.

“Que é feito de sua jovem enferma?”. “Está curada”.

“Curada??? Como???”

“Subitamente. Completamente curada. Acabo de constatá-lo”.

“Que aconteceu?”

Lourdes”.
E diante dos risos que os médicos incrédulos davam, ele diz que quando se haviam esgotado todos os recursos humanos, buscou-se o auxílio de Nossa Senhora. Não lhe deixam terminar e dizem a ele que com suas novas idéias não haveria lugar para ele na Faculdade.

Que resta a Carrel? Ele vai para os Estados Unidos e adquire notoriedade mundial com suas pesquisas sobre sutura dos vasos sanguíneos, ganhando o Prêmio Nobel de medicina de 1913.

Ao morrer em novembro de 1944, reconfortado pelos Sacramentos da Igreja, ele exclama: “É na hora da morte que se sente o nada de todas as coisas. Conquistei a fama. No mundo, falam de mim e de minhas obras: Mas diante de Deus, não passo de uma criancinha, de uma pobre criança”.

domingo, 27 de setembro de 2009

VISÃO DO INFERNO [3]

De Oliva uma vidente de Jesus da Misericórdia em Garagoa Colômbia


E JESUS disse-me: "O Meu sofrimento para eles foi inútil, por isso vão para o inferno". E vi que um dos castigos para eles, era ver o homem, ou mulher pelo qual se condenaram no peito, e Satanás lhe dava uma faca afiada, eles mesmos se cortavam, e tiravam pedaços de carne até chegar ao coração. Dizendo, maldito, maldito, maldito, por tua culpa eu estou aqui e estou aqui neste inferno. Quero te tirar do peito e não posso.

O Senhor disse-me: "reza, reza, reza, porque alguns estão vivos, e ainda se podem arrepender."

Vi homens atados com homens, e mulheres, sujeitas, atadas com mulheres, atados pela cintura, que se balançavam, como animais selvagens, arrastando uma presa. E estes quem são e porque sofrem? O senhor disse-me: "São toda a classe de homossexuais e lésbicas, que de livre vontade me rejeitaram, e não foram capazes de ser castos oferecendo a sua vida". E vi como Satanás, se revolvia no leito de estes pobres seres, dando-lhes mais desejos sem chegaram a ficar saciados e mais prazer, sem nunca ficarem saciados. Eu vi como os espíritos os atormentavam nas suas partes, com as quais pecaram. Eu vi que lhe atravessavam paus desde o ânus até a boca, e gritavam.
E perguntei: E as presas? E respondeu-me: "São todos aqueles que se deitaram com eles. Reza, porque muitos estão vivos e podem se salvar, ao se arrependerem. A pessoa homossexual que ofereça a sua castidade a Mim, e viva sem fazer pecar ninguém, eu derramo a Minha infinita Misericórdia, porque Eu os amo imensamente."

Toda relação, anal é condenada pelo Senhor, é contra a natureza. Não podemos condenar aqueles que praticam a homossexualidade, se fazemos o mesmo.
Vi homens e mulheres com caras de animais, e sofriam imensamente. E ao lado deles, uns que levavam algo, como unas cintas e umas folhas ou revistas onde haviam mulheres e homens nus. Também sofriam e vão para o inferno. Eu perguntei ao Senhor: Quem são? E também vão ao inferno? E o senhor diz: Só vão para o inferno se não se arrependem. Os primeiros, são todos os que tiveram intimidade com animais. Rebaixando-se ao nível de uma besta, e ainda mais que ela, porque se ela pensasse, não o faria. E todo aquele que faça do sexo uma obsessão através de filmes, revistas, anedotas grotescas e grosseiras, palavras de mau sentido, prostituição. São dignos do fogo eterno, com todos os seus tormentos, pois aprenderam a falar a baixeza de Satanás e não a falar e viver a santidade e a pureza de Deus, uno e trino.

Vi homens e mulheres de diferentes idades, que caminhavam como cegos golpeando-se com tudo. E um demónio estava ao pé deles, fazendo-os cair mais e mais.

E estes quem são Senhor? E diz-me: "São todos os bêbados, alcoólicos, vão porque, destroçaram o templo de Espírito Santo, onde mora a Trindade Santa. O seu próprio corpo. E fazem muito mal aos seus semelhantes, as suas famílias, esquecendo-se do primeiro mandamento. Amar a Deus e ao próximo como a si mesmo. Estes não aprenderam nem sequer a amar-se."

E ao lado deles, iam de diferentes idades, com os lábios rebentados, com fumo no nariz!

E estes quem são? Perguntei; E disse-me:" São todos os fumadores de toda classe de ervas, droga, cigarros ou vício. E vão, porque não amaram, não respeitaram o seu próprio corpo, e os que vão com eles, são todos os que oferecem, e os que os levam a pecar. Eu lhes disse; que aquele que oferece um copo de água, é digno do Céu eterno. Mas também quem oferece, ou faz pecar alguém, é digno do fogo eterno. Reze, porque alguns podem mudar de vida, e libertar-se deste castigo"

Vi homens e mulheres em mini-saia, ou com vestidos indecentes, e por trás deles, um grande número de homens e mulheres. E perguntei: Porque vão para inferno, e porque os atormentam? E respondeu: "A mulher que use mini-saia (ou outras roupas provocantes) vai para inferno, por corromper o homem seduzindo-o com o seu vestuário. E o mesmo para o homem, por se deixar seduzir. Cuidado com o vestuário. A mulher não deve levar calças e se o faz, que não seja muito ajustado. Muitas parecem mulas com freios. Os homens devem levar as calças, mas também não aquelas que parecem saias."

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O DRAMA DO FIM DOS TEMPOS [6]

O DRAMA DO FIM DOS TEMPOS

QUINTO ARTIGO


Julho 1885


OS PREGADORES DO ANTICRISTO


Visão de São João


I


Os livros santos que entram em tantos detalhes sobre o homem do pecado, nos fazem conhecer um misterioso agente de sedução que lhe submeterá a terra. Este agente, ao mesmo tempo um e múltiplo, é, segundo São Gregório, uma espécie de corpo ensinante que propagará por toda parte as perversas doutrinas da Revolução.


O Anticristo terá seus ajudantes de ordem e seus generais; possuirá um inumerável exército. Mal se ousa tomar ao pé da letra o número que São João nos dá falando de sua cavalaria (Ap 9, 16). Mas ele terá sobretudo a seu serviço falsos profetas como ele, iluminados do diabo, doutores de mentiras; inimigo pessoal de Jesus Cristo, macaqueará o divino Mestre, cercando-se de apóstolos ao contrário.


Falemos então, segundo São João, destes doutores ímpios que chamaremos pregadores do Anticristo.


II


São João, no capítulo XIII de seu Apocalipse, descreve uma visão parecida com a de Daniel. Ele vê surgir do mar um monstro único, reunindo em si mesmo uma horrível síntese de todos os caracteres das quatro bestas vistas pelo profeta. Este monstro parece o leopardo; tem pés de urso, goela de leão; tem sete cabeças e dez chifres.


Ele representa o império do Anticristo, formado por todas as corrupções da humanidade. Ele representa o próprio Anticristo que é o nó de todo esse conjunto violento de membros incoerentes e díspares.


Chega-se a ver o impostor, com o cortejo de cristãos apóstatas, muçulmanos fanatizados, judeus iluminados, que o seguirá por toda parte.


Ora, enquanto São João considerava esta Besta, viu uma das cabeças ferida de morte; depois a chaga mortal foi curada. E toda a terra se maravilhou com a Besta. Os intérpretes vêm nisto um dos falsos prodígios do Anticristo; um de seus principais ajudantes de ordem ou talvez ele mesmo, aparecerá ferido gravemente, acreditar-se-á que morreu, quando de repente, por um artifício diabólico, se recuperará cheio de vida. Esta impostura será celebrada por todos os jornais, muito crédulos nesta ocasião; o entusiasmo irá ao delírio.


“Então, continua São João, os homens adorarão o dragão que deu o poder à Besta, dizendo; quem é semelhante a ela, e quem poderá pelejar contra ela?”.


Assim, tanto o diabo será adorado como o Anticristo; e não será um duplo culto, o primeiro sendo adorado no segundo. São João nos faz assistir em seguida à perseguição contra a Igreja.


“E foi dada à Besta uma boca que proferia coisas arrogantes e blasfêmias; e foi-lhe dado o poder de fazer guerra durante quarenta e dois meses”.


Esta é a mesma palavra de Daniel e designa o tempo da perseguição no seu paroxismo. Quarenta e dois meses, é justo três anos e meio.


“E abriu a sua boca em blasfêmias contra Deus para blasfemar o seu nome, o seu tabernáculo e os que habitam no céu”.


“E foi-lhe permitido fazer a guerra aos santos e vencê-los. E foi-lhe dado poder sobre toda tribo, e povo, e língua, e nação”.


“E adoraram-na todos os habitantes da terra, cujos nomes não estão escritos no livro da vida do Cordeiro, que foi imolado desde o princípio do mundo”.


“Se alguém tem ouvidos, ouça!”.


“Aquele que levar para o cativeiro, irá para o cativeiro; aquele que matar à espada, importa que seja morto à espada. Aqui está a paciência e a fé dos santos”. (13, 3-11).


É assim que o apóstolo bem amado descreve a terrível perseguição. A todas as ameaças se juntam todas as seduções; disto resultará um fanatismo delirante que lançará o mundo inteiro aos pés da Besta. Mas todos os assaltos do inferno fracassarão diante da “paciência e a fé dos santos”.


III


São João nos pinta em seguida o grande agente de sedução que dobrará os espíritos dos homens ao culto da Besta.


“E vi outra besta que subia da terra e que tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro, mas que falava como o dragão”.


“E ela exercia todo o poder da primeira besta na sua presença; e fez que a terra e os que a habitam adorassem a primeira besta, cuja ferida mortal tinha sido curada”.


“E operou grandes prodígios, de sorte que até fez descer fogo do céu sobre a terra à vista dos homens”.


“E seduziu os habitantes da terra com os prodígios que lhe foi permitido fazer diante da besta, persuadindo os habitantes da terra que fizessem uma imagem da besta, que tinha recebido um golpe de espada e conservou a vida”.


“E foi-lhe concedido animar a imagem da besta, de modo que falasse; e forçar a todos os homens, sob pena de morte, a adorar a besta”.


“E fará que todos, pequenos e grandes, ricos e pobres, livres e escravos, tenham um sinal em sua mão direita, ou nas suas frontes; e que ninguém possa comprar ou vender, exceto aquele que tiver o sinal ou o nome da besta, ou o número de seu nome”.


“É aqui que está a sabedoria. Quem tem inteligência, calcule o número da besta. Porque é número de homem; e o número dela é seiscentos e sessenta e seis”. (Ap 13, 11-18).


Tal é a segunda parte da profecia de São João. São Gregório interpreta esta misteriosa passagem no sentido, como dissemos, de que o Anticristo terá seu colégio de pregadores e de apóstolos ao contrário. E esses doutores da mentira serão qualquer coisa como nossos sábios modernos, misto de mágico ou espírita.


Eles terão a aparência do Cordeiro. Adotarão na aparência as máximas evangélicas de paz, de concórdia, de liberdade, de fraternidade humana; e debaixo dessas aparências propagarão o ateísmo mais desavergonhado.


Eles terão a aparência do Cordeiro. Apresentar-se-ão como agentes de persuasão, respeitosos para com as consciências; e depois, farão morrer entre tormentos aqueles que se recusarem a ouvi-los.


“Seus ouvintes, diz fortemente São Gregório, serão todos réprobos; sua tática, diz ele ainda, consistirá em proclamar que o gênero humano, durante as épocas de fé, estava mergulhado nas trevas; e saudarão o advento do Anticristo como a aparição do dia e o despertar do mundo” (Mor. in Job. lib. XXXIII).


Essas pregações serão apoiadas por falsos prodígios. Instruídos pelo diabo e por seu agente a respeito de segredos naturais ainda desconhecidos, os missionários do Anticristo espantarão e seduzirão as multidões com toda espécie de sortilégios; farão descer fogo do céu, e farão falar as imagens do Anticristo que terão erigido.


Mas isso não é tudo. Forçarão os homens, sob pena de morte, a adorar essas imagens falantes. Obrigarão os homens a levarem na mão direita ou na testa, o número do monstro. E aquele que não tiver esse número não poderá nem comprar nem vender.


Aí aparece o terrível requinte da suprema perseguição. Aquele que não levar a estampilha do monstro estará por isso mesmo fora da lei, fora da sociedade, passível de morte.


Mas não vemos desde o presente se desenhar alguns ensaios dessa tirania?


O que são todos esses mestres do ensino sem Deus, senão os precursores do Anticristo? A Revolução quer ter seu corpo ensinante, encarregado oficialmente de descristianizar a juventude, e de imprimir na testa de todos, pequenos e grandes, pobres e ricos, a estampilha do Deus-Estado. O ensino obrigatório e leigo não tem outro fim. Já se preparam leis para interditar a entrada nas carreiras públicas de quem não tenha recebido a assinatura das escolas do Estado. No dia em que essas leis abomináveis passarem, pode-se pôr luto pela liberdade humana. Estaremos sob uma tirania sombria, sufocante, infernal. O Anticristo poderá chegar.


Esperemos, a consciência pública é ainda bastante cristã e não suportará tal tortura. Também procura-se, de todas as maneiras possíveis, adormecê-la.


Além disso, que os fiéis se consolem! Todos esses extremos só servirão, nos desígnios de Deus, ao brilho da paciência e fé dos santos.

domingo, 20 de setembro de 2009

VISÃO DO INFERNO [2]

De Oliva uma vidente de Jesus da Misericórdia em Garagoa Colômbia

Vi então três fornos maiores que o primeiro e Satanás gritava: - Que se faça o julgamento, tenho trabalhado bastante para dar-lhes as boas-vindas no meu reino, e tenho inventado novos castigos, e tormentos. Que venham aqui os que podiam salvar-se mas não quiseram, que venham a mim os que me serviram na terra.
Então vi umas mulheres, arrastadas com correntes, levavam cargas como mulas, eram golpeadas atrozmente e atormentadas. Lhes abriam os seus ventres, deixavam-nas gritar, despedaçavam-nas, e as golpeavam com umas cordas, como de ferro, insultavam-nas, mostravam-lhes os seus filhos, que elas tinham assassinado e os amarravam aos seus peitos. Elas escutavam o choro e os gritos dos seus filhos (porque me mataste mama!!!) ao grito do bebé, os seus peitos desgarravam e começavam a sangrar, os seus ouvidos sangravam e tudo aquilo era horrível. E perguntei ao Senhor: - Senhor JESUS quem são essas mulheres e porque sofrem tanto? Respondeu-me:"São todas aquelas que matam os seus filhos com o aborto, sofrem porque fizeram dos seus ventres tumbas, e o ventre é para dar vida. O pecado do aborto é muito difícil ao Meu Pai, de perdoar. Não basta com confessá-lo, se não há verdadeiro arrependimento. Há que fazer muita oração e penitencia, pedindo misericórdia a Deus Pai, bem como também ao filho que assassinaram. Os seus gritos e choro estarão á frente do trono de Deus e o seu sangue clamará desde a terra ao Céu".

E o Senhor disse-me:"Reza, reza, por elas, porque algumas estão vivas e podem se arrepender. Pois muitas vão pelo caminho do inferno".
Vi ao lado delas homens e mulheres que sofriam iguais tormentos que elas. E perguntei! Estes quem são, e porque sofrem iguais tormentos? E o Senhor disse-me:"São todos os cúmplices do aborto, os que as ajudaram. Aqui podem vir médicos, amigos, enfermeiros, parentes, ou alguma pessoa que ouviu que iam praticar um aborto, e não lhes disse; “Não o faças!"

Seguimos andando por esse largo caminho e vi homens que vinham cabisbaixos, com a língua de fora, e os demónios a golpeavam com pedras, lhes queimavam as mãos e os pés, atravessavam com punções. Os demónios descarregavam toda a sua ira contra estes homens. Vi como sofriam e perguntei: E estes quem são e porque sofrem tanto? E o Senhor disse-me:"São os chamados à mais alta glória dos Céus, mas perderam-na. Venderam-se e venderam-Me. Eles são os meus sacerdotes. Os pecados do sacerdote são pena a dobrar para Mim, por isso é em dobro o seu castigo. São martirizados na língua porque calaram a minha palavra e foram como cães silenciosos, gaguejaram ao falar. Consumiram-se em paixões e encheram-se de mosto, de vinho. Para eles a maldição é o fogo."

Vi mulheres e homens ao lado deles que sofriam grandes penas e perguntei: Quem são estes? O Senhor disse-me:" São os que pecaram com eles. A mulher que faz cair um sacerdote, mais lhe valia não ter nascido, porque é mais maldita que Judas. O mesmo para o homem que faça pecar um sacerdote."

Por trás destas havia uma multidão que seguiam esse caminho e sofriam iguais tormentos; E estes quem são? E disse-me: "São todos aqueles que se afastaram de Mim e da minha Igreja pelo pecado do sacerdote e não rezaram por ele. O sacerdote fez-se para salvar almas para salvar os seres humanos. Se não o faz, ajudam-no a condenar-se. Pois a minha palavra diz, que os guardas do Meu Templo estão cegos, nenhum faz nada, são todos cães mudos incapazes de ladrar, vigilantes preguiçosos que gostam de dormir. Cães esfomeados que jamais se fartam. E são eles os pastores, mas não sabem compreender, e cada um vai pelo seu caminho. Cada um busca o seu interesse; venham dizem, busquem vinhos e bebamos, embriaguemo-nos com os licores, não ajudam o inocente e fazem desaparecer os homens fieis (Isaías-56-9)".
Vi por trás destes, homens e mulheres que sofriam iguais tormentos, e disse: quem são estes? E o Senhor disse-me: "São todos os religiosos e religiosas. Reze , reze, por eles, para que Me amem e consigam se salvar. Nunca falem mal dos Meus. É como se untassem o dedo no “chile” e Me o metessen no olho. Só reze, reze, por eles, e não Me causes tormentos.”

Vi homens e mulheres que levavam os olhos vendados, por trás deles iam muitos acorrentados. Os demónios os insultavam, e os golpeavam, e violentavam-nos, violando-os. Os seus tormentos eram cruéis, e perguntei; quem São estes; E disse-me: “São todos os bruxos e feiticeiros, que se deixaram enganar e deixaram-se cegar por Satanás. A eles esperam-lhes tormentos imensos, porque viveram mais próximos de Satanás aqui na terra, mais que de Mim. E sofreram mais que nunca, por só ter servido o mal, livre e voluntariamente. Os acorrentados são todos aqueles que os consultam, e aqueles que mandam fazer um mal, ou bruxaria. É preferível que matem cara a cara, e não assim. Pois está escrito, que meu Pai não salvará essa raça; fora de mim cães malditos, para vocês não haverá fogo nem brasas para aquecer o pão. (Isaías 47- 12)".

"Reze, reze muito, porque há muitos que podem ainda se arrepender. Também a multidão que lhes seguem e sofrem tormentos, são os crentes em horóscopos, invocadores de espíritos, toda pessoa que queira saber o futuro, ou consulte algum deles, é merecedor do fogo eterno do inferno. Vi logo homens e mulheres atados por correntes nas mãos, cada um puxava por seu lado, jogavam-se e caíam entre si. Os demónios diziam-lhes; sofre pela tua culpa, dá-lhe mais forte. E perguntei; Quem são? E diz-me: "São todos os meus matrimónios que não vivem em paz. São duas bestas atadas pela mesma corda." E perguntei; Por que vão para o inferno? E respondeu-me o Senhor: "Beija a minha mão" eu fi-lo e ma colocou nos meus olhos. E vi que nessa famílias, havia insultos, ciúmes, golpes, guerras, e Satanás gritava para JESUS. – Olha, Olha como tenho os teus matrimónios!!! Que tiras-te, que ganhaste com santificá-los com o sacramento? Como o primeiro casal, pertencem-me! Mas agora farei que percam a Glória, não permitirei que rezem, nem que vão à missa. E ria-se a gargalhadas... Enquanto Jesus chorava. "Rezem, porque há muitos, que podem se arrepender e mudar".

Vi homens e mulheres atados pelos pés, e sofriam pior que os anteriores. E perguntei: E estes quem, são? E disse-me:"São todos os que vivem sem se casar, ou cometeram adultério ou fornicação". E perguntei: Porque vão para o inferno? E tocou-me os olhos e vi que JESUS abençoava todas as uniões entre o homem e a mulher quando estavam intimamente, como o primeiro casal. Mas quando não estavam casados, era Satanás quem dormia ao lado deles. Golpeando Nosso Senhor JESUS, cuspia-Lhe na Cara dizendo: Olha a tua criatura, o homem (mulher) convertido por mim num animal. Ainda pior; De que Te Serviu morrer por eles? Eu destruí o teu sacramento que lhes permite unir-se santamente. Mas eu farei de cada leito um fogo infernal envolto em paixões ainda não permitidas. Pois a mim sim me ouvem, apesar que eu não lhes ofereço um reino de paz, mas sim de dor...!